terça-feira, 24 de agosto de 2010

Lonjuras


Longos dias
Dias longos
Cansaço pendurado no corpo
Poeira sobre as cabeças
E um sol que não aquece.

Cai a noite
Cai o sereno
Desse agosto
E noites de insônia
Me derrubam em direção a ladeira.

Engolindo pedras pela descida
Esfolando o externo
Num ímpeto de atingir
E fazer sangrar a desilusão ,
O desgaste que há por dentro
Intoxicada de uma vastidão

Longos dias
Dias longos
E
Iguais.

Deveria eu fugir,
Mas isso não pertence-me
Despejo a desistência !

Engolirei as pedras.