sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Recordações

Muitas não se apagam, não nos abandonan, não olvidam e fazem sofrer. Sim, é isto apenas sofrimento.(óh por favor não vá pensar que eu tenho problemas com minhas lembranças por causa de um amor não correspondido e coisa e tal´s ou qualquer outra decepção. Não é isso definitivamente!)
Na realidade a minha perturbação e obceção em ficar relembrando tem um outro angulo. Eu não quero esquecer tudo que eu vivi, quero manter tudo extremamente vivo. (okei eu sei que é impossivel lembrar de tudo, eu que o diga.)Por mais que eu tente guardar tudo as lembranças vão vagarosamente se esvaindo sem que eu possa prende-las comigo.Tento com imenso desejo lembrar, fruir da maioria, mas o espaço acaba ficando estreito e elas vão embora. Algumas para sempre, outras permanecem num vai e vem continuo como as ondas do mar regando a areia da praia, muitas vezes sem força, apenas imagens, rostos ou uma simples palavra que circundam a memória silenciosamente. Outrora violentas, vivas que lembram demais, embora muito distantes no tempo persistem por mais indesejáveis que sejam.
Sustento...é isso que ofereço a aquelas que eu aspiro levar ao meu leito de morte.


A.R.