sábado, 12 de junho de 2010

Eu olhei para o céu e senti a rotação da terra desfavorável a mim. Senti que tudo recomeçaria... o céu estava azul novamente e o sol sorrindo pra mim. mas a rotação era contraria, porque a minha vontade não condizia com aquilo que se revelava novamente.
Não, eu não quero arriscar mais uma vez. Não quero molhar-me nessa chuva e ficar sob as nuvens ''pesadas'' se não der certo mais uma vez.
Por favor...
Eu preciso entrar em sintonia. E enquanto eu busco a minha frequência certa, você chega e me abala, as coisas ficam tão improváveis, desconcertantes e tão..tão felizes! Que chego a conclusão de te pedir que não deixe isso parar, continue comigo nesse fluxo giratório debaixo desse azul celeste e sol radiante e me permita as estrelas cadentes à noite.


Para 1° edição Inverbis